BLOG

Como fazer meu cachorro parar de roer os móveis?

Por Juliana Nishihashi

Texto originalmente publicado no blog Autenticão

Imagine a cena: chegar em casa e encontrar uma cena de guerra, com almofadas “explodidas”, cortinas e tapetes revirados, mesas e cadeiras “pernetas”, sofá todo bagunçado... Pois esse é um problema bastante comum entre tutores de cães que destroem móveis, e muitas vezes os tutores não têm ideia por onde começar a resolver o problema. 


Vamos dar aqui algumas ideias para modificar esse comportamento tão indesejado, mas do ponto de vista do cão, tão natural e até divertido!

Primeiro, tenha em mente que não vamos ensinar o cão a não roer e destruir, e sim redirecionar estes comportamentos para objetos permitidos – os brinquedos! Roer, destruir e cavar são comportamentos naturais dos cães e são necessários para o bem estar. Contanto que estejam direcionados para objetos e situações adequadas, não só devem ser permitidos, como incentivados!

Dicas:
1- Proponha uma rotina de atividades físicas e mentais diárias para o cão: passeios vigorosos, com possibilidade de farejar muito, são ideais (para cães sociabilizados, não medrosos ou traumatizados, e que gostem de sair em público). Caso não possa prover isso para o cão, sugiro contratar um bom passeador de cães que entenda de comportamento canino e faça passeio recreativo com treinos de obediência. Quando em casa com seu cão, brincar de bolinha, cabo-de-guerra, caça a petiscos, entre outros, também ajudarão no gasto de energia. Fazer vários treinos curtos de truques (5/10 minutos), além de ajudar a acalmar e focar, também queima energia e deixa os cães bem cansados depois de cada sessão!

2 - Ensine e habitue seu cão a brincar com os brinquedos dele: oferecendo diversos tipos de brinquedos, que estimulem o cão de formas diferentes, você ensina que ele tem opções muito melhores para se distrair do que roer o pé da sua mesa. Sempre que o cãozinho estiver entretido com um brinquedo apropriado, reforçe-o! Elogie, faça carinho, mostre que esse comportamento é o que você esperava dele. Procure por enriquecimento ambiental para cães na internet e veja quantas ideias de brinquedos – comprados ou feitos em casa – existem para entreter corretamente os peludos, e desafiá-los cognitiva e fisicamente! 

IMPORTANTE: todas as vezes que for oferecer um brinquedo novo para seu cão, ofereça e supervisione por pelo menos 10 vezes (ou mais!), até ter certeza da forma que o cão interage com o objeto. Se o cão for muito agitado, roer de forma voraz, tentar colocar o brinquedo inteiro na boca, retirar pedaços e tentar engolir, ou se você perceber qualquer outro comportamento exacerbado, o brinquedo NÃO DEVE SER OFERTADO MAIS! Vá testando opções diferentes até achar o que é ideal para SEU CÃO! O mercado pet hoje em dia tem diversos tipos de brinquedos que se adequam a todos os tipos de cães.

3 - Quando o cão for ficar sozinho, o ideal é deixá-lo longe dos locais ou objetos que costuma destruir. Sabe aquela ideia de fazer dieta, mas manter na geladeira guloseimas calóricas que podem sabotar o regime? Pois é, é a mesma lógica – se o cão não tiver acesso a coisas erradas para destruir, o hábito aos poucos sumirá. Portanto, retire objetos que puder do ambiente enquanto o cão está aprendendo a brincar com seus próprios brinquedos, e aos poucos, reintroduza os objetos no local. Caso não seja possível tirar algum objeto do local, sugiro utilizar spray repelente próprio para cães ou mesmo fazer uma barreira temporária com uma gradinha ou tábua de madeira, por exemplo. O importante é impedir momentaneamente que o cão tenha oportunidades de destruir.

4 - Por outro lado, quando o cão estiver sozinho deverá receber diversos brinquedos apropriados para destruir e roer, como ossos naturais, cascos e chifres encontrados em pet shops, brinquedos de nylon ou borracha resistente, brinquedos recheáveis com alimento pastoso, etc. Mas lembre-se sempre da dica no quadro acima, e só dê para o cão brinquedos que tenha certeza que não trarão problemas!

ATENÇÃO! Muitos cães destroem móveis e outros objetos simplesmente por não terem opções corretas, como os brinquedos citados acima, outros podem destruir por ansiedade, principalmente ao serem deixados sozinhos. Este problema de comportamento chama-se ansiedade de separação, e além da destruição, tem sintomas como choros e latidos quando sozinho, salivação excessiva e taquicardia, necessidades no local errado e comportamento de “sombra” quando o tutor está em casa. O ideal é buscar orientação de um consultor de comportamento canino para entender melhor o caso e criar estratégias para solução do problema comportamental.

Outro problema que também exige acompanhamento de um especialista é a ingestão proposital de objetos não-alimentícios – conhecido como pica. Procure sempre um profissional atualizado que trabalhe com técnicas positivas para ajudar.
Gostou? 
Você pode curtir ou compartilhar nosso conteúdo.

Gostaria de saber mais? Entre em contato conosco.